terça-feira, 17 de março de 2015

o Pintassilgo: finalmente a crítica

O Pintassilgo, de Donna Tartt


Andei aqui a falar tanto do Pintassilgo e nunca mais escrevi a crítica...

Pois é, finalmente acabei de o ler. É mesmo grande. Mas vale a pena.


São 800 e poucas páginas de letra miudinha e papel fininho que agarram o leitor. Baseia-se na vida de Theo Decker, um rapaz cuja vida muda radicalmente de um dia para o outro, e que, de alguma forma, fica ligado ao quadro O Pintassilgo. Eu queria dizer mais sobre o assunto, mas tenho medo de estragar a surpresa. O livro está muito bem escrito e acompanha várias fases da vida do rapaz, de forma espetacular: parece que a escrita acompanha a idade dele. 

Gostei muito não só da história e das personagens mas também da capacidade descritiva da autora. 
Acho que um bom exemplo disso é o facto de, durante a leitura de certas partes do livro, ter tido de levantar os olhos do livro várias vezes para não estava alcoolizada ou drogada. As descriçãos emergem-nos de tal maneira que a certa altura parece que estamos no meio da decadência, passando pelas vivências das personagens. 


Recomendo vivamente para quem gostar de autores contemporâneos americanos e mesmo para quem não goste. 
Recomendo ainda aos leitores que dominem melhor a língua inglesa que compre a versão do UK ou USA, porque custa quase um terço do preço da versão portuguesa.








Enviar um comentário