domingo, 26 de outubro de 2014

os livros impossíveis de ler


imagem proveniente do artigo do El País. 
Encontrei este artigo no El País (versão brasileira) sobre os livros que, por serem muito grandes, são [quase] impossíveis de acabar de ler:


Estes são os livros que no artigo são referidos como impossíveis:

1.- O Arco-Íris da Gravidade, de Thomas Pynchon
2.- Crime e Castigo, de Fiodor Dostoievski
3.- Guerra e Paz, de Leon Tolstói
4.- Orgulho e Preconceito, de Jane Austen (adoro o comentário de Mark Twain “Cada vez que leio Orgulho e Preconceito, tenho vontade de desenterrar [a autora] e golpeá-la no crânio com sua própria tíbia”. Eu confesso que li o livro até ao fim e não achei assim tão mau quanto isso)
5.- A Vida e as Opiniões do Cavalheiro Tristram Shandy, de Laurence Sterne
6.- A Divina Comédia, de Dante
7.- Moby Dick, de Herman Melville
8.- Paradiso, de José Lezama Lima
 9.- As Aventuras do Bom Soldado Svejk, de Jaroslav Hasek /Dom Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes
10.- A Piada Infinita, de David Forster Wallace

Leiam as razões no artigo, vale a pena :-)

Destaco ainda a frase do autor Nick Hornby "Cada vez que continuamos lendo sem vontade reforçamos a ideia de que ler é uma obrigação e ver televisão é um prazer”.

Enviar um comentário